Devido a grande procura de ingressos, mais duas datas foram adicionadas nos shows que a banda fará na Oceania em Outubro:

08/10/2009 @ Thebarton Theatre, Adelaide
11/10/2009 @ Festival Hall, Melbourne

As vendas para esse show começam no dia 10 de Julho.

 

Fontes: Base Tendencies | AusPOP

 

Setlist indisponível.

Vídeos

Disposable Teens

Algumas fotos aqui.

O site NRV-TV vai disponibilizar em breve uma entrevista em vídeo com o Twiggy! Veja a chamada abaixo

Manson concedeu uma longa entrevista ao site The Stool Piegon. Entre os assuntos, está a coisa do rock + homossexualidade. Respostas às vezes estranhas, outras interessantes. Confira!

 

Quero te perguntar sobre o papel de transgressão na música rock, onde a transgressão está indo, e mesmo se chocante, o rockstar controverso do final do século 20 talvez seja redundante.
Acho que por sua natureza é redundante. Você não pode de fato fazer qualquer arte sem ter a atenção de alguém... constantemente. Você tem que dizer algo diferentemente, constantemente. Dali disse que qualquer um que não rouba, não é um artista e você tem que pegar coisas e fazer por você mesmo, e então quando você fez isso, você tem que perceber como não se canibalizar, mas como transformar constantemente. Toda música vem de sentimento e toda música vem de dor e sofrimento. Nunca teve como fugir, então é como aprendemos a adaptar o fato de que o mundo inteiro está apto a falar bem alto agora? Sabe, todos são jornalistas agora – todos têm uma opinião – e acho que são apenas níveis. Andy Warhol nos disse que qualquer um poderia ser famoso por 15 minutos e ele estava certo. Então temos que inventar novos jeitos de se mostrar interessante para outras pessoas porque estamos tentando atrair outras pessoas. Você tem que fazer essa entrevista interessante para alguém que quer lê-la.

Uma das últimas coisas que Platão escreveu foi – e estou parafraseando – o que está acontecendo com as crianças? As crianças ficaram retardadas. Então aquela coisa de temer a próxima geração sempre esteve com a gente. Mas também estou falando da hiper-aceleração da cultura. Diga, por exemplo, se você tem escrito uma música como seu novo single, “Arma-Goddamn-Motherfuckin-Geddon” como a seguida de “Lunchbox” no começo da sua carreira, as pessoas teriam encontrado mais coisas chocantes que agora.
Ah, acho que isso não tem nada de chocante; é completamente intencionalmente redundante e esse era todo o ponto disso. Realmente saí do meu meio de fazer aquilo encaixar no álbum. No contexto do álbum, refere-se a algo que disse indo para o estúdio. Foi meu comentário de como as coisas agora são sem vergonha, sem esperança e desinteressantes. Quando você tem que colocar ‘goddamn’ e ‘motherfuckin’ em um título que já tem ‘Armageddon’... você sabe! Eu estava apenas fazendo um ponto. Enfim, eu não escrevi isso – a Bíblia escreveu – apenas adicionei algumas palavras nela. Se fosse rascunho e eu tivesse apenas jogado as letras e elas viessem daquele jeito, seria minha culpa que elas tivessem acabado naquela sequência? (risos) Não. Eu apenas apertei o botão. Fila do aplauso. E as pessoas bateram palmas. Riso entalado. Sabe qual é a pior coisa sobre o riso entalado? Que todos nas fitas de riso entalado estão mortos agora. Então é um quarto cheio de pessoas mortas rindo de mim.

Qual o papel primário do rockstar transgressivo? É providenciar um lugar seguro para as crianças se rebelarem? É segurar um espelho para a sociedade?
Não, é para as garotas. Talvez nem todos deveriam simplificar em rock n’ roll ou arte. Não é uma garota em todos os casos. Mas acho que a única razão que qualquer um faz o que quiser é porque eles querem conectar com alguém. E acho que rock n’roll vem com ser um rockstar. Não é demasiado o que eu faço para dizer isso; seria simplificar a razão de porquê eu fazer. Tenho dito desde o início: que eu quero compartilhar o mesmo sentimento que acho que todos têm. E quero ser um rockstar porque você escapa fazendo e dizendo coisas e não tendo que fazer outras coisas. Você evita a coisa que você vê na sua frente – esse futuro horrível de 9-para-5. Escravidão vestiu-se na forma de um cheque. Agora tive que fazer mais alguma coisa, ou se eu não estivesse apto a fazer o que faço, não acho que seria um ponto. Acho que trabalho mais duro que qualquer um que conheço – apenas às vezes meu trabalho é usar drogas, beber e tirar minha calça na frente de garotas. Às vezes é escrevendo palavras para me levar no ponto onde eu tirei minha calça na frente de garotas; às vezes é escrevendo uma melodia; às vezes é voltando com meu melhor amigo (Twiggy) e tirando sua calça enquanto ele toca guitarra.

Houve mais aberturas mutuais de calças entre você e o Twiggy agora que vocês estão fazendo músicas juntos de novo?
(Risos) Bem, acho que teve, realmente. Eu fiz aquele comentário metaforicamente, mas acho que passei 10 anos dizendo: “Por que não achamos o guitarrista certo para tocar as partes da guitarra que o Twiggy escreveu?” E estava bem ali, na minha frente. A guitarra é como o microfone e tem que ser tocado com... feeling. Às vezes você toca do seu pau e às vezes você toca do seu coração, mas não da sua carteira ou da sua cabeça. Tem que ser instintivo. O material que ele tocou nesse álbum foi como eu me sentia por dentro. Estivemos diante das mesmas coisas emocionalmente, mesmo que você não possa comparar essas coisas, eu nunca digo a alguém, “Ah, sei como você se sente.” Você nunca sabe como uma pessoa se sente. Eu escrevo uma música e digo, “Isso é como me sinto.” E se as pessoas conseguirem relacionar, elas podem se colocar dentro disso.

Você é conhecido, em termos de música alternativa e rock Americana, como a pessoa mais esquisita. Você é o Deus da Foda...

Eu gostei quando a NME... e a NME tem cagado em cima de alguns dos maiores artistas. Vi uma edição de aniversário onde eles disseram ‘Diamond Dogs: O Fim de Bowie”... Então me chamaram de Deus do Fode-Tudo e eu gostei disso. Achei bem legal.

Não é um desrespeito para você, é? É uma declaração pobre de nilismo...
Não, eu acho bem engraçado. Acho que é engraçado porque é alguém que não percebe que você não pode ser eu sem ter um ótimo senso de humor. Esse é o ponto. Meu nome é Marilyn Manson. As pessoas acham que eu levo tudo a sério. Tenho que ir trabalhar, ser todo sério, agressivo, Deus do Foda e tudo o mais? Eu dou risada disso, de verdade.

Isso é relativamente sério: Estava pensando sobre a queda de Roma. Contrária a essa ideia de lamentar-se e ranger os dentes, o tema todo foi um dos enfados. Se você é o inimigo público nº 1 da sociedade Americana – na qual você está para algum, eu acho – o que acontece quando as pessoas ficam cheias de você? O que acontece quando as pessoas não ficam mais chocadas com você?
Bem, acho que o jornalismo está em um estado triste quando eu sei que é uma coisa conveniente dizer que Marilyn Manson não está chocando. Tem sido assim desde o começo; nunca foi conveniente dizer que eu estou chocando. Jane’s Addiction gravou um dos álbuns mais influentes na minha vida, “Nothing’s Shocking.” Nós ficávamos chocados quando crianças? Não, nós ficávamos fascinados. Quando em Roma, tem uma seção Cesariana. Eles inventaram que você sabe. Nesse álbum, sinto como se pudesse me ouvir quando escuto, quase tornando-se Nero no final e dizendo “Sabe de uma coisa? Se não posso ter amor, vou queimar tudo.” Mas isso é um clichê. Acho que esse álbum é sobre o fato que todos nós desistimos de algo porque queremos ter as coisas que não podemos ter. E, para muitos de nós, é sempre amor ou alguém que nos entenda – não encaixar, mas é para encaixar. As pessoas tentam e encaixam isso em um par de jeans – encaixam com o público. Alguém pessoas tentam encaixar em uma estrela pornô. E está tentando conectar. Alguém sempre tentar desistir de suas asas para ser mortal – parar tentar e obter coisas que não dá para obter. Mas é quando você desiste das asas... é que você não tem-as. Então eu tenho que ser lembrado que o difícil caminho que eu era a pessoa que passou boa parte da minha vida dizendo, “Não tenha medo de ser você.” E acho que comecei tendo medo de ser eu mesmo porque eu estava preocupado que ser eu não era o que eu deveria ser mais, porque, como uma pessoa que é tão crítica de tudo, ser eu não era mais tão interessante. Apenas tive que deixar ir. Sabe o que estou dizendo?

Não.
Uma criança atirou em seu professor semana passada e disse, ‘Hail Marilyn Manson.’ Se aquilo continua acontecendo e eu continuo sendo culpado por isso… acredito que eu deveria ser culpado por algo se meu nome fosse incluído em uma sentença que acaba com uma bala e ponto final. Mas a culpa é minha? É culpa do mundo? De quem é a culpa? Eu não sei. É alguém dizendo meu nome?

Bem…
É alguém dizendo meu nome e atirando em pessoas? Ou são pessoas dizendo “Eu acredito em Jesus Cristo”: ‘Bang! “Eu acredito no Islã”: ‘Bam!’ “Eu acredito na América”: ‘Boom!’

Mas isso não é...
Então é tristemente impressionante que algo assim aconteça. Mas, ao mesmo tempo, como um crítico do mundo, acho que não importa mais o que eu diga ou faça. Aparentemente importa. Talvez esteja importando no modo errado às vezes, mas acho que estou sendo irresponsável.

Rebobine um segundo. Eu li sobre o caso que você está falando (Justin Doucet, de 15 anos, que durante um estardalhaço armado recente, não conseguiu matar ninguém, apesar de atirar em seu professor à queima-roupa e depois atirar na própria cabeça)  A culpa disso não está diretamente ligada àqueles que se opõe à legislação sobre armas? A culpa disso não está na indústria de armas dos Estados Unidos?
Hmmm. Você poderia, eu acho, começar com isso, mas você acha que a criança teria parado com aquele trem de pensamentos só porque ele não poderia ter uma arma?

Claro que ele teria!
Se não houvesse uma arma, ele não faria com um lápis? Não quero dizer escrever! Obviamente não teria sido ótimo se ele tivesse feito a mesma coisa com um lápis! O que é felizmente o que eu escolhi fazer, se estivemos falando em ideias sem detalhes e metáforas. Há uma linha tênue entre artistas e assassinos. Isso é que separa arte do comércio. Arte e espiritualidade andam de mãos dadas. Mas política e religião não são espirituais – elas tiram coisas do mundo. Isso não quer dizer que você não possa acreditar em Deus. Para mim, Deus é o conceito de fazer algo. Se você não tem esperança pelo futuro, então você não pode ser um artista – não há ponto. Todos acham que sou um nilista fatalista e vim perigosamente perto de pensar assim nos últimos anos. Foi quando eu comecei a pensar que não tenho mais sentimentos, então por que se chatear? Esse é o fim. Enfado. Enfado lida com drogas, Enfado lida com “Vamos inventar novas coisas porque temos feito tudo.” É engraçado que você traz o Empério Romano porque as crianças tem cido muito cínicas e cresceram muito rápido. Crianças são senis agora. Elas esquecem. Elas não têm história. É Twitter, Twitter, download, download. Não me importo com nada disso. O que você está dizendo? O que você tem a dizer? Você pode dizer algo? Você pode dizer algo que é passional. E às vezes, é, eu tenho que atirar naquelas pessoas? Claro. Você deveria estar preocupado com isso, eu ficaria, se você está preocupado com o que a minha música faz. Vai chegar o dia em que vou atirar em alguém e vai ser eu ou alguém que diz a coisa errada para mim e eu não tenho medo de fazer isso. Não quero ir para a cadeia agora e não quero morrer, então você tem que fazer essa escolha. Você é estúpido ou passional? Escolha entre os dois. E tristemente, quando as crianças ficam loucas, é estúpido. “Quando as Crianças Ficam Loucas!” é um novo programa de TV e eles querem colocar minha música como trilha sonora.
Eu genuinamente acho que as crianças de qualquer país do mundo ficariam loucas e matariam pessoas se elas fossem autorizadas. E por estarem autorizadas, quero dizer,  se tivessem armas em casa ou em lojas locais que fossem fáceis de pegar.
Bem, concordo. Concordo. O fato que instruo qualquer um que trabalha comigo para não me deixar ter uma arma de fogo (risos). Porque se eu entrar em uma encrenca, é onde começa. Se você tem uma arma letal perto de você, esse é o começo do estupidez – é sempre a tentação. É o Jardim do Éden; é a queda do paraíso. Se você vê o caminho para destruir algo, você vai destruir porque você vê como tudo foi criado e você fica frustrado. Estou ficando irritado com essa conversa! É a história que nunca vai acabar porque não há jeitos suficientes para mexer todos no mundo inteiro. Você não pode agarrar todos e chacoalhar todos eles.

Mas e sobre...
Com o material que eu disse no Antichrist Svperstar… Estou feliz que disse aquelas coisas. Na época foi uma ótima gozada na cara das pessoas. Eles estavam chocados e tipo, “Woah, tem um gosto horrível e eu não gostei nem um pouco disso.” Não estou dizendo a mesma coisa em “Arma-Goddamn-Motherfuckin-Gedon.” Não cheguei nem perto daquilo.

Vou mudar o assunto aqui e covardemente atrair seu intelecto por te perguntar para olhar de novo na transgressão, não apenas se aplica a você, mas na história do pop e rock...
Ok.

No começo do rock n’ roll, era um canteiro de subversão, se foi o sexo para menores (Jerry Lee Lewis); homossexualidade, ou a sugestão disso, quando aquilo foi um absoluto não-não (Little Richard); e o que eu acho que teria sido chamado negrofilia (Elvis Presley).
Er, você disse negrofilia ou necrofilia?

Negrofilia.
Sim, você está certo. Estou sentado em Berlin fazendo essa entrevista. Estava muito fascinado com Berlin por causa do nascimento do expressionismo quando os artistas seriam mortos por dizer, ‘Vou pintar o céu de roxo,’ e ao mesmo tempo, eles [Nazistas] estavam amaldiçoando e condenado, swinging dancing e usando expressões como essas [“Negrofilia”] e também expressões como “a queda da sociedade.” Eles não estavam em torno do tempo suficiente para pontuar ao rock n’ roll, mas eles estavam lá para pontuar da onde vinha. Noite passada estava assistindo TV e vi o novo vídeo do Eminem, no qual ele faz uma paródia do ‘Jailhouse Rock’ e comecei a pensar o quão relevante ‘Jailhouse Rock’ foi para a imagem moderna na sociedade moderna... Então estou sentado aqui pensando sobre ‘Jailhouse Rock’ e pensando, ‘Nossa, se esse vídeo tivesse sido feito hoje, seria ainda inacreditavelmente ofensivo. Não posso imaginar se tivesse sido como então.

É, a coisa sobre...
São todos criminosos, estupradores, assassinos etc, dançando com esse cara com penteado e quadris. É inacreditável para mim. Se você pensa sobre o que é a queda do mundo – o que destruiu tudo – foi o rock n’ roll. Foi onde começou. Bem, é e não é. Rock n’ roll é a trilha Sonora. Quando eles começaram a colocar na TV, foi onde começou o real problema. Quando você combina visuais com áudio, é um medium poderoso.

Que tal...
É propaganda. É Triumph of the Will [Leni Riefenstahl 1934, propaganda Nazi de filme] É onde Wagner fez produções de óperas onde tinham suásticas e Hitler, que teve uma obsessão homossexual com Wagner, disse: ‘Adoro o jeito que olha, vou fazer algo com isso. Estou puto porque sou um artista ruim de aquarela.” Tudo é sobre transgressão. Toda guerra. Pensa sobre a natureza onde você tem um pavão feminino...

Pavoa.
O quer que seja, escolha um animal. Elas vão com um macho para outra tribo e então elas correm de volta aos machos dela e ele tipo, “Vou te defender e vou matar todo mundo.” Essa é a transgressão central, então tudo é sobre relacionamentos, namoradas e rock n’ roll definiu isso porque o rock n’ roll aconteceu exatamente ao mesmo tempo em que a mídia se transformou. O Rock n’ roll aconteceu quando a televisão a cores foi inventada. Ironicamente, JFK foi morto uma semana depois que a televisão a cores saiu. Ou foi irônico? Eu diria não. Se você quer uma conversa com duração de um milhão de horas, vá e olhe à Lockheed Martin na internet. Você vai ficar chocado. Eles também inventaram o LP, e a televisão a cores. Eles também inventaram o satélite, e toda bomba já jogada. Eles inventaram a caixa preta. Eles eram proprietários das torres gêmeas e do avião que caiu nelas. Então você torna-se bem cínico e com raiva do fato de que não é uma coincidência e desde o empério Romano foi descoberto: “Vamos fazer as pessoas lutarem entre si e vamos vender a eles maneiras de fazer isso.” E rock n’ roll tornou-se a única coisa que realmente fodeu tudo porque eles não estavam em cargo disso. Então eles tornaram-se em cargo disso. E não acho que é uma coincidência que as pessoas que inventaram todo o controle, inventaram o modo de escutar rock n’ roll.

Quem são as pessoas transgressoras mais importantes?

Citá-los? Número um: Elvis Presley. Número dois: Jim Morrison. Número três: Sex Pistols. Número quatro: David Bowie. E isso é só na minha vida para crescer enquanto garoto.

Você bateu em algo importante. Quando o rock n’ roll começou, foi um assalto em todas as frentes – sexo para menores, violência, morte, cruzando a divisão racial, sexualidade – mas só algumas dessas coisas pegaram a extensão inteira. Por que em uma mão, Mötley Crüe teve que pegar a coisa do sexo heterossexual em sua conclusão lógica e...
Eles não fizeram um trabalho bom o suficiente...

... artistas como você tem explorado muito da intrface entre o totalitarismo e o shock de rock, mas ninguém enlameou as águas do incesto ou sexo com menores ou até mesmo homossexualidade em nenhuma grande extensão? Quero dizer, em 10 anos, teremos um grupo de rock comprosto por homens abertamente pedófilos? Eles poderiam se chamar The Paedos in Speedos...
(Risos) É engraçado você ter falado isso porque eu tenho um álbum (de 1995) chamado Smells Like Children, sabe? E eu tive uma conversa antes de seu lançamento onde me pediram para tirar a música “Pretty Little Swastika” do álbum. Eu fiz isso e não foi para agradar a censura. Sua escolha de censura foi feita puramente por causa do dinheiro. Eles disseram, “Tire essa música do seu álbum, porque há duas coisas que você não pode fazer na música: você nunca pode dizer algo anti-Semita e também sobre pedofilia.” Eu disse, “Obrigado por me dizer isso. Vou em frente e combiná-los em uma música para vocês e então vou raspar uma suástica nos pelos pubianos da minha namorada e fazer ela usar um rabo de porco” Mas não é defendendo ninguém. Eles são detestáveis! É uma declaração. Eu nem inventei as palavras e símbolos que todos associam a mim, e nem inventei qualquer tipo de profanidade. Gostaria de poder inventar um novo palavrão, mas eles já fizeram. Você pode culpar uma criança por pegar blocos de prédios com letras neles, jogarem no chão e então eles escrevem ‘foda uma criança’ ou ‘mate seus pais’? Não, você não pode, porque é o que está na sua cabeça. Então crie seus filhos. Deixem eles lerem livros e fazerem suas próprias escolhas. Não diga as pessoas como pensar, elas ficam loucas. E então ou se matam ou matam você.

Não é a real barreira...

Ouça, tenho que ir em um segundo e ensaiar... eles estão esperando por mim.

Olhe, homossexualidade não é a última barreira? As pessoas correm contra isso o tempo todo – pessoas como Bowie e você (e você nem é gay), e outros rockstars homossexuais...
A maioria deles são gays, só que ainda não sabemos.

Onde estão todos os rockstars gays? Onde estão todos os rockstars que iriam supostamente se assumir depois do Rob Halford do Judas Priest? Se você pega todos os membros do Metallica, Slipknot, Machine Head, Nickelback e Anthrax, posso te garantir que pelo menos dois deles tiveram sexo penetrativo com outro homem e gostaram pra caralho. Certamente a coisa mais rebeliosa que você poderia fazer se você é um músico agora, é ser gay?
Sim.

Gosto de saber que um dia teremos outro momento Sex Pistols porque há novas bandas crunk: quatro rappers negros e gays que se apresentam pelados com ereções e depois se chupam entre as músicas.
É. É, você está certo. É o último tabu e eu acho que foi trazido em um filme que foi muito bem feito e eu recomendo, chamado Dahmer, sobre o [serial killer] Jeffrey Dahmer. Eles estavam falando sobre o que é a coisa mais rebeliosa que você pode fazer e disseram que homossexualidade estava indo contra a natureza. Mas não é necessariamente contra a natureza. Só tornou-se contra a naturza na página 53 da Bíblia ou o que quer que seja. Sodoma e Gomorra: você tem uma cidade nomeada depois de um sexo anal, o que é fantástico. Eles queimaram até o chão. Eu apanhei de skinheads no sul da Flórida quando comecei a banda porque os skinheads Nazi pensavam que eu era Judeu homossexual; os skinheads straight-edge pensavam que eu era Judeu homossexual drogado. São pessoas estúpidas que tem inteligência o suficiente para ler algo que alguém mais estúpido ainda escreveu e elas ficam confusas e querem lutar com elas mesmas, mas eles acabam tirando em outras pessoas. Quero dizer, não sou gay, mas tive o pau do Twiggy na minha boca. Não estava ereto e nem era meu. Nenhum de nós somos viados.

Quem nunca teve o pau do Twiggy na boca?
Boa. Quem não teve? Mas não estou com medo de encarar a última coisa do rock n’ roll. Gosto de estar apto a olhar para o público e olhar primeiro as garotas e então os caras. Não o inverso. Mas eu estava na grade do show do Judas Priest, então talvez eu poderia ter ido ao outro jeito! As pessoas, quando elas se descobrem, são estúpidas: ‘Se você chupar meu pau, vou bater na sua bunda!’ Esse tipo de atitude. ‘Mas se um gay chupar o meu pau, ele é um viado!’ É a agravação e medo que faz alimentar o grande negócio do rock n’ roll: Madonna, Prince, Bowie, todos que brincaram com sexualidade. Acho que eu não, mas eu esqueceria tudo da ‘Cake and Sodomy’ do primeiro álbum, então acho que tenho amnésia quando chega nisso. Acho que tento beber bastante para esquecer as coisas ruins que eu faço. As pessoas tentam e fogem do problema, mas não consigo fugir diso. Não entendo por que as pessoas continuam tentando. Toda figura religiosa gosta de fazer aquelas coisas que estão tão expostas agora. Essencialmente esse é o porquê das pessoas tornarem-se padres – porque elas têm desejos homossexuais e querem silenciá-las. Mas usando um colar não te protege de ser um chupador. E aquela sua citação está bem ali.

Setlist indisponível.

Vídeos

Great Big White World

The Love Song

Disposable Teens

If I Was Your Vampire

The Beautiful People

página: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | 52 | 53 | 54 | 55 | 56 | 57 | 58 | 59 | 60 | 61 | 62 | 63 | 64 | 65 | 66 | 67 | 68 | 69 | 70 | 71 | 72 | 73 | 74 | 75 | 76 | 77 | 78 | 79 | 80 | 81 | 82 | 83 | 84 | 85 | 86 | 87 | 88 | 89 | 90 | 91 | 92 | 93 | 94 | 95 | 96 | 97 | 98 | 99 | 100 | 101 | 102 | 103 | 104 | 105 | 106 | 107 | 108 | 109 | 110 | 111 | 112 | 113 | 114 | 115 | 116 | 117 | 118 | 119 | 120 | 121 | 122 | 123 | 124 | 125 | 126 | 127 | 128 | 129 | 130 | 131 | 132 | 133 | 134 | 135 | 136 | 137 | 138 | 139 | 140 | 141 | 142 | 143 | 144 | 145 | 146 | 147 | 148 | 149 | 150 | 151 | 152 | 153 | 154 | 155 | 156 | 157 | 158 | 159 | 160 | 161 | 162 | 163 | 164 | 165 | 166 | 167 | 168 | 169 | 170 | 171 | 172 | 173 | 174 | 175 | 176 | 177 | 178 | 179 | 180 | 181 | 182 | 183 | 184 | 185 | 186 | 187 | 188 | 189 | 190 | 191 | 192 | 193 | 194 | 195 | 196 | 197 | 198 | 199 | 200 | 201 | 202 | 203 | 204 | 205 | 206 | 207 | 208 | 209 | 210 | 211 | 212 | 213 | 214 | 215 | 216 | 217 | 218 | 219 | 220 | 221 | 222 | 223 | 224 | 225 | 226 | 227 | 228 | 229 | 230 | 231 | 232 | 233 | 234 | 235 | 236 | 237 | 238 | 239 | 240 | 241 | 242 | 243 | 244 | 245 | 246 | 247 | 248 | 249 | 250 | 251 | 252 | 253 | 254 | 255 | 256 | 257 | 258 | 259 | 260 | 261 | 262 | 263 | 264 | 265 | 266 | 267 | 268 | 269 | 270 | 271 | 272 |









Marilyn Manson - Prêmio de Ícone pela Alternative Press (2016) Third Day of a Seven Day BingeThe Mephistopheles of Los AngelesManson fala sobre o ”The Pale Emperor” (2015)Manson dá suas impressões sobre o Natal (2014) Deep Six


ver +

facebook.com/marilynmanson
marilynmanson.com
twitter.com/marilynmanson


2008 - 2017 ® Marilyn Manson Brasil | Todos os Direitos Reservados