04/06

Foi postado o vídeo da música WOW no show de ontem. Confira abaixo:

Assim que saírem mais vídeos, atualizaremos!

 

 


Promoção The High End of Low. Participe agora! http://www.mechanicalchristbr.com/pages/highend/

Ontem a banda deu início a turnê mundial para a divulgação do The High End of Low. Abaixo você confere as informações principais do que aconteceu ontem.

 

Mais fotos podem ser vistas aqui.

Setlist:

1. Four Rusted Horses (Opening Titles Version)
2. Pretty As a Swastika
3. Leave a Scar
4. Disposable Teens
5. Irresponsible Hate Anthem
6. Arma-Goddamn-Motherfucking-Geddon
7. Great Big White World
8. The Dope Show
9. WOW
10. Sweet Dreams (Are Made of This)/Rock n' Roll Nigger
11. We're from America
12. The Beautiful People

Vídeos:

Irresponsible Hate Anthem

Great Big White World

The Dope Show

Sweet Dreams (Are Made of This)

 Rock n' Roll Nigger

Pretty as a Swastika


Outras Informações:

- Não foi confirmado oficialmente pela banda, mas o que tudo indica, o novo baixista da banda chama-se Andy Gerold, que já tocou com a banda ASHES dIVIDE. Vejam as fotos: 1 | 2 | 3

- Os fãs que foram, disseram que o show parecia um ensaio na verdade, e que o Manson parecia estar bêbado.

- O show era pra ter o bis de If I Was Your Vampire e Rock is Dead, mas não ocorreu.

- Manson arremessou o pedestal contra o Ginger porque supostamente ele teria errado na música We're from America, sendo que, segundo os fãs, foi o Manson que errou a letra da música.

- Twiggy cantou The Beautiful People.

A turnê segue no dia 05/06, sexta-feira, com um show no festival alemão Rock Am Ring.


Promoção The High End of Low. Participe agora! http://www.mechanicalchristbr.com/pages/highend/

O site da BBC fez a transcrição da entrevista que eles fizeram com o Manson esses dias na rádio da emissora.

“Você quer uma luta? Você quer uma luta comigo?’

Conheci Marilyn Manson há menos de dois minutos.


Pensei que fosse entrevistar o príncipe dark do rock, o gótico grotesco que, como diz a lenda, é vampiro, zumbi e demônio em um só.

E foi a entrevista mais estranha que já fiz. Esperei que ele fosse um pouco estranho – mas não assim.

Também achei que o shock rocker fosse ser altamente articulado. Pelas outras entrevistas que assisti, sei que ele pode ser a voz inteligente de uma geração problemática.

Mas hoje, é claro que Marilyn Manson é apenas problemático.

Ele está em um estúdio de rádio encardido no complexo BBC Maida Vale, onde ele acabou de finalizar uma sessão de rádio. Nossa entrevista está quatro horas atrasada.

Na porta à frente, um coral da BBC Radio 3 está cantando Stabat Mater da Karol Szymanowski. Só espero que ele não entre nesse estúdio por engano.

Lá dentro, vestindo um capuz preto e sua normal palidez mórbida, ele está em espíritos elevados, fazendo piadas com sua banda e a turma do estúdio.

Como começamos, torna-se claro que ele não consegue ou não quer dar respostas coerentes, exceto aquelas que acabam com comentários sobre sexo, violência ou preferencialmente os dois.

São tais as suas preocupações que eu tive que editar duramente seus comentários que são sinistros, gráficos e francamente perturbados.

Estou fazendo a entrevista com um colega, Adrian, da BBC 6 Music. Manson começa arrancando a espuma do microfone do Adrian, antes de ser perguntado sobre seus fãs.

“Meus fãs? Não há fãs, porque eu estava bem quente no meu quarto.” Adrian tenta novamente, na qual Manson responde: “Fãs do teto ou anônimos?”

Há uma cintilação em seus olhos. Ele está brincando conosco, mas seus comentários também estão delibitadamente lascivos e aleatórios.

Ele segue diretamente. “Isso é um celular?” ele diz olhando para o meu gravador. Claramente não é um celular. “Posso te ligar?” Então ele faz a primeira oferta para uma luta, não agressivamente, mas mais como um político, um convite jovial.

Adrian pergunta para ele sobre o Download Festival, onde Manson tocará nesse verão.
“Você disse carregar. E baixo,” Manson interrompe, como se elas fossem as palavras mais sujas do mundo.

Fiz minha primeira pergunta, e tento mudar. Ele lembra a primeira vez que se apresentou musicalmente? Suas diferentes dimensões dos olhos saem de seu capuz.

“A primeira vez que me apresentei, vomitei.”

“Quando foi isso?”

“Noite passada. Mas não, a primeira vez, eu tive medo do palco. Eu estava com medo dos palcos assustadores e The Frighteners, que foi um filme ruim, qual o nome dele? Michael J. Fox.
Então eu diria que a última vez que eu tive... qual era a pergunta?”

Próximo, eu tentei perguntar onde ele mora atualmente. A resposta é desconexa, recheadas com palavras rudes e referência à violência sexual. Ele também começa a fazer barulhos com assobios no meio.

A resposta termina com: “Etc e tão adiante e tão ligado e wow e [mais assobios] eu gosto de falar nesses tipos de termos.”

Está ficando mais e mais curioso. Então perguntei sobre o filme que ele está supostamente trabalhando, onde ele interpreta o autor de Alice no País das Maravilhas, Lewis Carroll.

“Sempre interpretei ele na vida,” ele responde. “Escrevi um script sobre ele porque eu li seus diários e era sobre afasia para o céu, o céu, esquerda, direita e isso sou eu.

Então eu quase abandonei a música porque eu não queria mais fazer então quero colocar tudo isso no filme. Agora estou apaixonado por filme. Mas me filmando. E estou interpretando o Marilyn Manson.”

Em que estágio o filme está? Você tem gravação de algo?”

“Não, eu atirei em alguém. Mas era uma arma de fogo e não era exatamente legal. Mas eu fui exonerado pelo crime.”

Espero e rezo para que ele esteja brincando. Depois que Adrian perguntou a ele sobre um de seus ídolos, Iggy Pop, eu perguntei porque ele não abandonou a música e decidiu lançar um álbum novo.

“Eu percebi que isso é o que eu faço melhor,” ele diz “Não é sempre bom, mas é o que eu faço melhor, pior. Eu sendo Marilyn Manson, rockstar, et cetera, isso é o que eu faço.”

Então o filme irá... não tenho tempo para finalizar minha pergunta.

“Você quer uma luta? Um filme?” ele introduz.

O filme, eu afirmo.

“O filme,” ele repete, antes das coisas se corromperem novamente.

Manson gere responder uma questão sobre Mötley Crüe um pouco mais coerente, então, agradecidamente, a entrevista é trazida perto de menos de 10 minutos.

Em tempo, foi em partes surreal, embaraçoso e engraçado. Em retrospectiva, parece um pouco mais perturbador. Não assustador. Apenas triste.

Novo álbum de Marilyn Manson, The High End of Low, está nas lojas.

 

Fonte: MansonUsa

 


Promoção The High End of Low. Participe agora! http://www.mechanicalchristbr.com/pages/highend/

Confira a tradução da entrevista para a rádio francesa France Info. Os áudios podem ser escutados aqui.

 

A respeito do nome “We’re from America” O que significa?
Quero provocar, você sabe. As pessoas sempre dizem que estou chocando, que não estou chocando, que isso choca, isso não choca. Os Americanos sempre reclamam sobre o que não está chocando. Se você quiser ficar chocado, coloque o seu dedo na porra da torradeira, esse é o melhor modo. Para mim, você tem que ser provocativo sendo um artista, esse é o ponto. Se você não quer ter atenção, você não está fazendo nada de interessante.

Poderia nos explicar o porquê do título “The High End of Low” nessa nova produção? Sendo assim, esse é um Marilyn Manson romântico?
O último álbum era sobre eu mesmo tentando me comprometer, estava tentando realmente me reconstruir e se reconciliar comigo mesmo. Quando eu gravei, eu era uma pessoa quebrada, tentando voltar a ser o que fui e tentando aprender com meus erros. Mas o álbum começou com o conceito de Shakespeare de que “O mundo não nos entende, mas vamos seguir juntos”, contudo, o álbum termina com outro, você sabe que alguém te promete que “estarei contigo para sempre” e te abandona, é melhor correr, porque eu vou te matar. Mas isso, para mim, é muito mais romântico, porque é como uma sensação de frenesi, a ideia do “para sempre” é muito perigosa. Agora creio que o “para sempre” não existe, mas se você não crê no “para sempre” pode crer em chegar a um ponto de dependência que pode ser amor. Esse álbum não fala muito sobre relacionamentos, é mais sobre eu explicando ao mundo quem eu sou e o que quero ser e avisar: sou perigoso, tenha cuidado.
Para tudo isso não tive o nome do álbum até o dia 2 de Janeiro, e eu terminei o álbum no meu aniversário, dia 5 de Janeiro, quando finalmente vi o que eu queria mostrar e como me sentia, então surgiu o título. Passei os feriados totalmente sozinho, e também o meu aniversário. O único momento em que via os meus amigos era no estúdio. Foi então quando alguém disse “ah, você voltou a ser você, você voltou a ser o Manson” e então surgiu o conceito do The High End of Low.

Sem dúvidas... Um renascimento bastante significativo...
Sim, acho que é um renascimento, se você não está disposto a crescer e evoluir, então isso está morto. Não é tentar desistir, que foi o que eu quase fiz, é tentar tornar-se uma pessoa melhor, perceber que se você conhece alguém, esse desejo, o desejo que todos temos de conhecer pessoas, e os erros que cometemos em nossas vidas, fôssemos desistir de quem somos, fazemos uma exceção para aquela pessoa, para ser amado. E esse álbum pode ser um exemplo de eu percebendo tudo o que fiz, dos meus erros de como sou mais duro agora, amargo, frio... Mas antes do final do CD, no dia do meu aniversário, eu cantei a última música e eu percebi que o que eu queria dizer era que eu percebi que voltar a ser o que você é ganhar suas asas de volta e reaparecer das cinzas, sabe... redenção, ressurreição, renascimento e esse CD é sobre começar de novo.

É possível que Marilyn Manson, o pesadelo da América, votasse no Obama?
Sim, porque quando voto, uso meu pau. Pensei esses dias “O que vou fazer hoje?” Me levanto e vou ao estúdio. Todos pensam que ser Marilyn Manson é tocar fogo em algo, beber e usar drogas. Ou eu deveria votar no presidente negro? Ele é do tipo divertido e eu gosto do que ele diz, partindo de que os últimos presidentes eram retardados e penso que Obama é um Americano para os Americanos. Depois que votei, fui ao estúdio. E é assim como votei pela primeira vez. Me sinto parte disso.

 

Fonte: Gabo Manson

Manson escreveu um novo post no blog do MySpace e também atualizou o status. Leia abaixo:

 


Terça, 2 de Junho de 2009
Eu tenho uma faca
Humor atual: Simpatizante

Por todo o dólar Rent Friendsters feito em cima de mim. Atenção APENAS para todos os lobisomens estupradores: Vou te ensinar mais do que a perda. A questão é: O fim é com o meu pulso na frente do seu rosto ou atrás da sua cabeça? Todo o resto, proceda como não planejado. Etc. MM 15


 

O status do MySpace também foi atualizado com a seguinte mensagem:
 


Marilyn Manson - Eu tenho a coragem de apunhalar as pessoas no rosto. As costas são para os covardes que estão fugindo. Ah, e os estupradores.


 

página: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | 52 | 53 | 54 | 55 | 56 | 57 | 58 | 59 | 60 | 61 | 62 | 63 | 64 | 65 | 66 | 67 | 68 | 69 | 70 | 71 | 72 | 73 | 74 | 75 | 76 | 77 | 78 | 79 | 80 | 81 | 82 | 83 | 84 | 85 | 86 | 87 | 88 | 89 | 90 | 91 | 92 | 93 | 94 | 95 | 96 | 97 | 98 | 99 | 100 | 101 | 102 | 103 | 104 | 105 | 106 | 107 | 108 | 109 | 110 | 111 | 112 | 113 | 114 | 115 | 116 | 117 | 118 | 119 | 120 | 121 | 122 | 123 | 124 | 125 | 126 | 127 | 128 | 129 | 130 | 131 | 132 | 133 | 134 | 135 | 136 | 137 | 138 | 139 | 140 | 141 | 142 | 143 | 144 | 145 | 146 | 147 | 148 | 149 | 150 | 151 | 152 | 153 | 154 | 155 | 156 | 157 | 158 | 159 | 160 | 161 | 162 | 163 | 164 | 165 | 166 | 167 | 168 | 169 | 170 | 171 | 172 | 173 | 174 | 175 | 176 | 177 | 178 | 179 | 180 | 181 | 182 | 183 | 184 | 185 | 186 | 187 | 188 | 189 | 190 | 191 | 192 | 193 | 194 | 195 | 196 | 197 | 198 | 199 | 200 | 201 | 202 | 203 | 204 | 205 | 206 | 207 | 208 | 209 | 210 | 211 | 212 | 213 | 214 | 215 | 216 | 217 | 218 | 219 | 220 | 221 | 222 | 223 | 224 | 225 | 226 | 227 | 228 | 229 | 230 | 231 | 232 | 233 | 234 | 235 | 236 | 237 | 238 | 239 | 240 | 241 | 242 | 243 | 244 | 245 | 246 | 247 | 248 | 249 | 250 | 251 | 252 | 253 | 254 | 255 | 256 | 257 | 258 | 259 | 260 | 261 | 262 | 263 | 264 | 265 | 266 | 267 | 268 | 269 | 270 | 271 | 272 |









14.11 @ Annexet
15.11 @ Hal 14
16.11 @ Sporthalle
18.11 @ Zenith
19.11 @ Tip Sport Arena
20.11 @ Gasometer
22.11 @ Pala Alpitour
23.11 @ Samsung Hall
25.11 @ Velodrom - UFO
29.11 @ Mitsubishi Electric Halle
[ ver mais ]

Marilyn Manson - Prêmio de Ícone pela Alternative Press (2016) Third Day of a Seven Day BingeThe Mephistopheles of Los AngelesManson fala sobre o ”The Pale Emperor” (2015)Manson dá suas impressões sobre o Natal (2014) Deep Six


ver +

facebook.com/marilynmanson
marilynmanson.com
twitter.com/marilynmanson


2008 - 2017 ® Marilyn Manson Brasil | Todos os Direitos Reservados