Conhecendo Marilyn Manson

Escute o chat na 6 Music com o controverso ícone do goth-rock.

Para ir até a página, clique aqui e então clique no player abaixo da foto para escutar a entrevista.

1º de Junho de 2009 - Quatro horas é ofcialmente a hora mais longa que eu já tive que esperar para entrevistar um músico, e agora minha entrevista com o Marilyn Manson é oficialmente os 10 minutos mais estranhos da minha vida.

Chegando nos estúdios da BBC achando inocentenmente que ele estaria lá em tempo, gastei muito da minha tarde sentado em um lounge preparado para a grande chegada do rockeiro.

Fora da música, Marilyn Manson provou-se um homem articulado, perceptivo e constrangedor. Essa entrevista foi conduzida após uma sessão para a BBC.

Durante a entrevista, ele tirou o microfone, pediu a sua namorada para despir-se e derramar mais insinuações sexuais que Finbarr Saunders da Viz Comics.

Escute através do player para ouvir o homem em si com os entrevistadores Adrian Larkin (6 Music News) e Ian Youngs (BBC Online).

Adrian Larkin

 

Fonte: MansonUsa | BBC

A música Blank and White sem censura foi postada no MySpace oficial da banda. Escute agora.

Foram postadas mais fotos dos bastidores do vídeo da Arma-Goddamn-Motherfuckin-Geddon. Para ampliar, é só clicar.

     

   

31/05

Estamos tendo problemas técnicos com o servidor do site. Algumas sessões podem não entrar e outras não aparecerem. Nós já estamos arrumando todos esses erros e, logo mais, o Mechanical Christ BR volta com seu conteúdo completo.

Agradecemos a compreensão de todos e nos desculpamos mais uma vez pelo transtorno.


              Atenciosamente, Equipe MCBr.


Mechanical Christ BR: O fã-site Oficial da banda Marilyn Manson no Brasil.

Confira a tradução da entrevista que Manson deu ao site Noisecreep.com

 

Marilyn Manson nunca cansa de gerar controvérsia na mídia do mainstream, que é devido a sua aparência subversiva, suas associações controversas e sua música pontapé-na-virilha. Nós falamos com o Manson – que é Brian Warner em seus documentos legais e para sua mamãe – durante a meia-noite da véspera do lançamento do seu mais novo álbum, ‘The High End of Low.’
Ele estava falante, engraçado e altamente inteligente, falando sem hesitação sobre sua volta com o Twiggy Ramirez, o término com a atriz Evan Rachel Wood, passando os feriados a la carte e como ele se sente sobre sua música inspirando atos aleatórios de violência. Ele se posicionou como um vilão e não está com vergonha de endereçar qualquer tópico que colocamos em seu caminho.
 

O quanto essa seu reencontro com o baixista Twiggy Ramirez influenciou no processo criativo desse CD?

É sobre eu percebendo a importância da perda, eu mesmo digo, ‘Vou te ensinar sobre a perda.’ Há vários degraus de coisas indo na minha vida e quando você volta com um amigo, você percebe o vazio que isso criou, que é quando está junto novamente. Foi como se o tempo não tivesse passado. Separadamente, nós fizemos muito em nós próprios e ambos podem se apoiar em nosso próprio. O que fizemos juntos nesse álbum, ninguém mais pode fazer. Esse é o álbum que quisemos fazer, no tempo certo, como amigos. Nós precisamos um do outro. Nós fomos através de emoções paralelas com relacionamentos e não tínhamos um ao outro enquanto melhores amigos para dizer, “Quero ir através desse tormento.”

Ele veio para a lâmina com essa música, na qual soou como eu queria ter dito. Foi intimidador, para mim, eu tive que pegar em um nível e fazer e dizer algo que não tinha dito antes. Minha parte como o cantor e letrista pegou espaço entre Novembro e 5 de Janeiro. Eu acabei no meu aniversário. Eu parei de morar com meus pais como todos fazem, para começar uma banda, ir em turnê, morar em hotéis e entrar e sair de diferentes relacionamentos. Então em Novembro, o último que relacionamento que terminei comigo vivendo sozinho e isso tornou o processo. Eu passei, por escolha, os feriados sozinho!

Você não parece ser o tipo de cara de ‘grandes celebrações no feriado’!

Não sou grande em feriados, mas passei o Natal, véspera de Ano Novo e meu aniversário totalmente sozinho. Voltei ao estúdio, fiz as três últimas faixas. Acordei pensando, ‘tenho que cantar essa música e finalizar o álbum,’ que não é sobre desistir do que você é. É sobre ver o que não está funcionando, odiando todo mundo e tentar destruir isso.
Sem esse sentimento, a música ‘Devour’ não existiria. É sobre um assassinato/suicídio que quase aconteceu e a música é o porquê disso não ter acontecido. Então começa o álbum.
A pessoa que escreveu aquela música, não é a mesma que escreveu ‘15’. Eu mudei, pessoas cometem erros. Agora, vejo que mostrar afeto e amor não deveria ser confundido com fraqueza. Não estou desesperado por amor; é algo que decidi em conseqüência. Eu poderia ter terminado sendo nulo, como o [Psicopata Americano] Patrick Bateman, sem nenhum sentido de realidade ou contato com a humanidade. A faixa ‘15’ é como se você saísse do cinema, depois dos créditos finais e o que você não esperava acontecer... aconteceu.

Quanto esse álbum tem a ver com a dissolução de seu relacionamento com a atriz Evan Rachel Wood?

No que dissolvido, eu estava descobrindo o que eu presumia ser. Meu último álbum, ‘Eat Me, Drink Me’ era sobre uma pessoa quebrada, reconstruindo e romântica. Era muito Shakespeariano. Enquanto o relacionamento ia, correu sua maldição, eu lutei desesperadamente para segurar. Eu estava segurando o pedaço de mim que não existia, que eu pensei que existia. Eu cometi vários erros pela pessoa que escreveu ‘Devour’, não a faixa ‘15’. Todos que me conhecem bem, choram quando escutam. Eu tenho o número 15 tatuado atrás da minha orelha. É o novo número da besta.

Há vários ‘fucks’ no primeiro vídeo, “Arma-Godamn-Motherfuckin-Geddon”.

É intencionalmente o maior excesso de profanação em um álbum que eu já fiz. Nos meus álbuns, embora tenha o ‘parental advisory’ nele. Mas quando eu digo, ‘et cetera’, é a parte mais importante da música. Tenho visto nas notícias, histórias sobre morte, estupro, assassinato e eles sempre usam o ‘et cetera’, que me choca e me diverte. Coisas terríveis acontecem e transformam a mundana e reduzem as pessoas ao ‘etc...’ Tenho ‘et cetera’ tatuado no meu pulso. Se eu cortar meu pulso, cortaria através do ‘etc...’, que é triplamente irônico.

Você soletra “et cetera” ou vai pelo “etc.”?

Etc. Sou tudo sobre abreviações.

Controvérsia não é nada nova para você, mas como você está lidando com isso em 2009?
Começando com Columbine... está voltando aos Beatles com ‘Helter Skelter’ em 1969. Foram culpados por violência. ‘Arma-Goddamn-Motherfuckin-Geddon’ não sou eu sendo engraçado. É sarcástica e pode ser interpretada como engraçada, mas quando você está no álbum, é obscura. Mas como toda a controvéria, então eu quero crédito pelo pedágio da morte, tenho sido culpado por mais tiroteios em escolas que qualquer um na história, então acho que quero o crédito.
Não perdoo ou encorajo nada disso, mas fica a pergunta: “Se as pessoas estão preocupadas com o que a música faz, por que elas não estão preocupadas com o que vou fazer?” Culpe os Cristãos. Eu os culpo por eu não poder ficar nu em frente de mulheres e estar confortável com isso. Acredito em espiritualidade, mas como um artista, você faz merda, coloque no mundo. Arte é o ponto de interrogação, não a resposta e isso é o que eu escolhi.

Você definitivamente se faz ser o cara que tem prazer do fato de que choca as pessoas...

É uma escolha que fiz para me afirmar na posição de vilão. É uma grande responsabilidade [dá de ombros]. Pessoas sempre perguntam às celebridades, ‘Oh, como você se sente fazendo o papel de modelo?’ Que tal o papel de violão? É muito mais difícil. Uma modelo posa. O vilão pega a merda feita.

página: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | 52 | 53 | 54 | 55 | 56 | 57 | 58 | 59 | 60 | 61 | 62 | 63 | 64 | 65 | 66 | 67 | 68 | 69 | 70 | 71 | 72 | 73 | 74 | 75 | 76 | 77 | 78 | 79 | 80 | 81 | 82 | 83 | 84 | 85 | 86 | 87 | 88 | 89 | 90 | 91 | 92 | 93 | 94 | 95 | 96 | 97 | 98 | 99 | 100 | 101 | 102 | 103 | 104 | 105 | 106 | 107 | 108 | 109 | 110 | 111 | 112 | 113 | 114 | 115 | 116 | 117 | 118 | 119 | 120 | 121 | 122 | 123 | 124 | 125 | 126 | 127 | 128 | 129 | 130 | 131 | 132 | 133 | 134 | 135 | 136 | 137 | 138 | 139 | 140 | 141 | 142 | 143 | 144 | 145 | 146 | 147 | 148 | 149 | 150 | 151 | 152 | 153 | 154 | 155 | 156 | 157 | 158 | 159 | 160 | 161 | 162 | 163 | 164 | 165 | 166 | 167 | 168 | 169 | 170 | 171 | 172 | 173 | 174 | 175 | 176 | 177 | 178 | 179 | 180 | 181 | 182 | 183 | 184 | 185 | 186 | 187 | 188 | 189 | 190 | 191 | 192 | 193 | 194 | 195 | 196 | 197 | 198 | 199 | 200 | 201 | 202 | 203 | 204 | 205 | 206 | 207 | 208 | 209 | 210 | 211 | 212 | 213 | 214 | 215 | 216 | 217 | 218 | 219 | 220 | 221 | 222 | 223 | 224 | 225 | 226 | 227 | 228 | 229 | 230 | 231 | 232 | 233 | 234 | 235 | 236 | 237 | 238 | 239 | 240 | 241 | 242 | 243 | 244 | 245 | 246 | 247 | 248 | 249 | 250 | 251 | 252 | 253 | 254 | 255 | 256 | 257 | 258 | 259 | 260 | 261 | 262 | 263 | 264 | 265 | 266 | 267 | 268 | 269 | 270 | 271 | 272 |









20.07 @ Budapest Open Air
21.07 @ Metal Hammer Festival
22.07 @ Junge Garde
24.07 @ Metaldays 2017
25.07 @ Rock in Roma
26.07 @ Villafranca Castle
28.07 @ QStock 2017
31.07 @ Stadium Live
02.08 @ Sport Palace
04.08 @ aken Open Air
[ ver mais ]

Marilyn Manson - Prêmio de Ícone pela Alternative Press (2016) Third Day of a Seven Day BingeThe Mephistopheles of Los AngelesManson fala sobre o ”The Pale Emperor” (2015)Manson dá suas impressões sobre o Natal (2014) Deep Six


ver +

facebook.com/marilynmanson
marilynmanson.com
twitter.com/marilynmanson


2008 - 2017 ® Marilyn Manson Brasil | Todos os Direitos Reservados