O show de ontem ocorreu em Gilford, New Hempshire. Coma White voltou ao setlist no lugar de Great Big White World.

1. Angel with the Scabbed Wings
2. Disposable Teens
3. No Reflection
4. The Dope Show
5. Rock is Dead
6. Coma White
7. Personal Jesus
8. Prelude (The Family Trip) (Intro)/mOBSCENE
9. Sweet Dreams (Are Made of This)
10. The is the New Shit
11. Antichrist Superstar
12. The Beautiful People

Coma White

Sweet Dreams (Are Made of This)

Antichrist Superstar

The Beautiful People

 

Confira a tradução da entrevista feita pelo site Riverfront Times, onde Manson fala sobre sua vida, amor e até sobre o que vem fazendo atualmente na música.

Certa vez houve uma subcultura de pessoas que raspavam partes de suas cabeças e tingiam os dreadlocks. Eles casualmente usavam roupa bondage e drogas que a maioria das pessoas não conseguiam achar. Eles eram verdadeiras aberrações de um tipo diferente - os cybergoths industriais dos anos 1990, ou o que quer que vocês chamem-os. Eles reuniram-se em torno de um músico cujo as declarações ousadas sobre a sociedade e travessuras chocantes contra cultura serviram como um grito de guerra para os privados de direitos civis.

Depois de ser tirado de baixo da asa do Trent Reznor do Nine Inch Nails, Marilyn Manson meio que conquistou omundo. Ele pegou a imagem perturbadora e a batida do rock industrial e o afiou adotando a persona de um Satanista sem gênero sexual. Ele era um demônio vivo para as donas de casa conservadoras e um herói para qualquer jovem magro, delicado, que veste preto.

Então, no dia 20 de Abril de 1999, dois jovens magros, delicados, vestindo preto fizeram uma tempestade no colégio em que estudavam e começaram a matar pessoas. Marilyn Manson foi culpado, e logo virou o performer mais odiado no planeta. Apesar de toda sua postura, Manson descobriu que é difícil ser desprezado por todos. Ele lançou mais alguns discos que o mantiveram no rádio e, eventualmente, o retirou em uma obscura depressão.

Quando ele voltou, lançou mais alguns discos. Mas as pessoas não pareciam se importar da mesma maneira. Toda a cena industrial mudou. Agora, em turnê com o Alice Cooper, Manson está de volta às manchetes após a filha do Michael Jackson, Paris, ter tentado suicídio depois de ter sido impedida de ir em um de seus shows. Nunca se escondendo da controvérsia, Manson respondeu ao ocorrido convidando-a para um show, e seguiu simulando um corte em seu pulso nas performances. Apesar da baixa na popularidade, o ofensor crônico de batom continua a reinventar-se.

Li uma entrevista onde você disse que queria parar de escrever músicas que façam as pessoas sentirem-se de uma certa maneira e, sim, que sintam algo. Qual a diferença?

Bem, acho que caí em um padrão no Eat Me, Drink Me, onde eu estava escrevendo sobre como me sentia. Talvez eu não pudesse falar para ninguém como eu me sentia, então eu tive que fazer isso através da música, e muitas pessoas gostaram por causa disso. Acho que a coisa mais importante é escrever algo que as pessoas vão se lembrar. Música é a trilha sonora da sua vida. Mas eu posso sair de mim mesmo e escutar algo que eu fiz objetivamente, especialmente agora que estou trabalhando com pessoas que nunca imaginei que fosse trabalhar. Não é como se eu estivesse fazendo o que as pessoas esperam - não é tipo, rap metal ou algo assim. Não soa como nada que eu tenha feito ou escutado. Estou fazendo coisas muito legais que as pessoas ficarão surpreendidas.

Você teve uma mudança nos últimos anos, onde você tirou o foco da sociedade Americana como um todo e a projetou para dentro. Você agora está olhando mais a si mesmo e fazendo uma arte mais pessoal. Isso vai ficar refletido nesse novo trabalho?

Ainda é pessoal, mas diferente. Acho que seria mais... Não diria igual como foi no meu primeiro disco, mas o estado de espírito em que eu estava. Talvez toda essa coisa com o Alice Cooper tenha ativado minhas memórias de infância. Me cerco com um grupo mais diferente de pessoas agora. Quase levei um tiro num drive-by ontem à noite. Então foi divertido. Acho que não foi intencional. Ouvi muitos tiros de arma de fogo na área que estava gravando. Vamos colocar assim.

Nossa. Onde você está gravando?

Em todos os lugares. No estúdio do Johnny Depp, depois eu vou gravar no estúdio do Kevin McCall. Gravo em qualquer lugar. No Meu laptop. No meu iPhone. Estou pouco me fodendo, se tenho uma ideia. Tenho a tecnologia agora. Não é improvido, tipo jazz livre ou algo sem noção assim.

Nota: Em outra versão dessa entrevista, foi publicada uma resposta mais longa do Manson em relação a isso. Aqui a tradução:

Eu estava gravando agora há pouco. Estou trabalhando em material novo para o disco novo. Eu não sei ao certo se eu ainda quero lançar discos de uma maneira tradicional. Eu quero combinar minhas pinturas, performance, e músicas. Até agora, eu fiz coisas diferentes com Johnny Depp, estou trabalhando com o Mr. Oizo, que é, também, Quentin Dupieux, que dirigiu o filme Wrong Cops e foi recentemente lançado em Cannes, que é onde eu deveria estar, mas não pude ir. E eu trabalhei com Gucci Mane e esse cara, Kevin McCall (K-Mac), que produziu muitas músicas do Chris Brown. Terminamos uma música ontem chamada Beautiful Disaster, bem pesada, crua, meio que um gansta rap se encontrando com Prince. Estou conhecendo pessoas diferentes, tentando coisas diferentes, me tirando de meu próprio padrão.

Eu tenho tantas coisas em minha cabeça, simplesmente guardadas ali. Não sei onde. Adoro atuar. E vou fazer muitas coisas relacionadas a atuar este ano. E eu ressuscitei meu roteiro do Phantasmagoria, e Roger Avary [Cães de Aluguel, Regras da Atração, Parceiros do Crime] vai dirigí-lo.

Você lida com o que tem. Você tem uma caneta e um papel, faça acontecer. Você tem uma batida de rap na sua frente? Lide com ela. E estou empolgado também porque vou entrar em turnê e vou tocar coisas que não toco há 8 anos, músicas que sei que as pessoas querem ouvir. E vou tocar músicas que quero tocar, porque há tempos não as ouço. Eu não estou tentando fazer algo que vá ultrapassar Alice Cooper - nós vamos fazer algo juntos. Vai ser a parte mais emocionante do show.

Você sente que perdeu um pouco de sua confiança nos últimos anos? Acho que você teve uma época obscura onde você se isolou.

Acho que me afetou um pouco, sim. Não entendia como lidar com isso. Tive muitos problemas com a minha mãe ficando doente e me envolver com garotas que estão numa posição meio insana. Acho que sou um imã para pessoas com um parafuso a menos. Estava trabalhando em uma música hoje com o Mr. Oizo, o DJ que dirigiu o filme Wrong Cops, e esse cara, Cage, um dos meus melhores amigos.

O Cage de Nova York?

Sim, ele lançou um disco novo e somos ótimos amigos. Saímos e fumamos muitas drogas que vocês referem como maconha. Essa é a nova fase da minha vida. Estou indo para trás. É uma droga de passagem e eu passei pelos portões da forma errada. Comecei usando coisas pesadas e voltei usando coisas leves.

Isso não é uma metáfora para grande parte de sua carreira? Você começou de forma dura, sendo apresentado como esse demônio, ou por você mesmo, ou pela mídia. E agora você tem que levantar todo dia e ser o Marilyn Manson. Isso é algo que às vezes é difícil de competir ou você apenas banca o vilão?

Me acho muito adaptável em situações sociais, e acho que aplico isso ao restante da minha vida. Digo coisas absurdamente rudes em um jantar charmoso, se você conseguir me imaginar em um. Eu nunca como, porque sempre falo muito. Mas acho que as pessoas me acham fascinante, de alguma forma. Acho que eles são mais conhecidos de amigos que irão me chamar para sair. Acho que eles gostam de trazer o palhaço para entreter a todos, de uma maneira. E eu sei disso, então eu gosto do papel. Uma das minhas maiores inspirações como artista é o Salvador Dali porque ele sempre se destacava. Ele disse uma vez, "Confusão é a melhor forma de comunicação," e acho que é onde eu estou. As pessoas nem entendem o que irá acontecer depois. É normalmente em uma situação de quarto - ele irá me esfaquear? Ele irá me foder? Acho que acabei de escrever uma música nova. Vou colocar isso no papel e fazer uma música.

Vou fazer algumas perguntas rápidas porque sei que seu tempo é curto.

Ok. Espera! Você quer dizer que estou morrendo?

Espero que não.

Você disse que meu tempo era curto.

Sim, sou a morte. A morte é um entrevistador careca e míope.

(Risos) Qual era a sua pergunta?

Como você sabe quando está apaixonado?

Acho que "amor" é uma palavra limitada. Amo beber absinto agora. Amo usar drogas. Amo minha gata. Acho que dedicação e romance são importantes. Me apaixono por coisas e ideias de coisas e às vezes isso se mistura com as pessoas.

Você está dizendo que o romance está em todos os lugares.

Sim. Tenho um bom coração e o abro às vezes. Acho que, às vezes, se é um relacionamento volátil, é provavelmente amor. Entanto que você não seja aquele que levará o pé na bunda emocionalmente. Acho se você está com alguém, metaforicamente - devo colocar essa palavra - e se você matasse alguém e precisasse enterrar o corpo e essa pessoa te ajudasse, isso é amor. Se sua garota está disposta a levar a pá até o deserto com você, isso é amor. Ou ela está com medo de ir para debaixo da terra também.

Qual o melhor presente que você já ganhou?

Essa é difícil. Sei que no Californication eu disse que queria AIDS no Natal, mas acho que o melhor presente que já me deram foi a Lily, minha gata. Estou olhando para ela. Minha gata, Lily White e estou olhando em seus olhos agora, e ela sabe. Peguei-a num 14 de Fevereiro, dez ou onze anos atrás.

Como você se sente sobre o punk rock em 2013? E não digo o que está no rádio, digo aquela parada estranha que está acontecendo nos porões, onde as pessoas estão levando socos na cara e sendo queimadas com fogos.

Quero ir lá. Onde é isso?

Está em todos os lugares - em todas as cidades. St. Louis é provavelmente um dos melhores lugares para o punk rock. As pessoas jogam bolas de boliche pelo lugar.

Bem, quando eu estava gravando noite passada, tinha uma arma de fogo lá fora. Eu não queria levar um tiro porque preciso fazer essa turnê. Mas, não sei, acho que... Bem, eu gosto de colocar uma câmera helicóptero para sobrevoar minha casa. E minha garota foi ao hospital para tratar de uns machucados ontem - então eu tenho muita coisa legal acontecendo na minha vida. Digo, isso não é punk rock, nada disso. Gosto de viver a vida perigosamente, mas não quero isso na minha vida em ponto algum.

Você endossa, mas não quer uma bola de boliche sendo jogada em você.

Ah, eu conseguiria desviar. Sou bem esperto quando o assunto é esporte. Tenho uma boa mira, também. Acertaria algum filho da puta muito bem, mas não gosto de colocar os dedos em buracos que não sei onde os dedos das outras pessoas estiveram. Fiquei surpreso que você não fez uma piada relacionada ao Bowling for Columbine (NT: Bowling em inglês é boliche) que poderia ter sido feita.

Todos sabem que você é um grande fã do David Bowie. Você já escutou o Legendary Stardust Cowboy?

Não. Vou dar uma ouvida.

O cara que o David Bowie diz que ele pegou o 'Stardust' do Ziggy Stardust. Cara bizarro dos anos 1960.

Ah sim. É, ouvi falar dele, mas eu deveria escutar. Ele também disse que foi bastante inspirado pelo Walker Brothers, e eu gosto daquele disco com os eletricistas. Tenho escutado uma variedade de coisas estranhas. Costumava escutar apenas o que escutava quando jovem, por motivos sentimentais, eu acho. Você escuta uma música e liga isso a uma parte de sua vida. Isso que é legal de fazer música, quando alguém vem até mim e diz que perdeu a virgindade com uma das minhas músicas. Se for um cara, eu sempre vou dizer, "Machucou quando você deu a bunda?" Essa é a piada que gosto de fazer. Então é, aí está.

 

Twiggy completa hoje, 20 de Junho, 42 anos de vida! Nossos votos de felicidade e que ele continue na banda até o dia que o Manson decidir parar de fazer música porque, quem é fã, sabe da sua importância e que a combinação dos dois no estúdio - e ao vivo - é fantástica e inigualável!

O show de ontem ocorreu em Reading, Pennsylvania. Great Big White World voltou ao setlist no lugar de Coma White.

1. Angel with the Scabbed Wings
2. Disposable Teens
3. No Reflection
4. The Dope Show
5. Rock is Dead
6. Great Big White World
7. Personal Jesus
8. Prelude (The Family Trip) (Intro)/mOBSCENE
9. Sweet Dreams (Are Made of This)
10. The is the New Shit
11. Antichrist Superstar
12. The Beautiful People

No Reflection

Rock is Dead

Antichrist Superstar

The Beautiful People

O show da última Segunda-Feira ocorreu em Columbia, Maryland. Coma White voltou ao setlist no lugar de Great Big White World.

1. Angel with the Scabbed Wings
2. Disposable Teens
3. No Reflection
4. The Dope Show
5. Rock is Dead
6. Coma White
7. Personal Jesus
8. Prelude (The Family Trip) (Intro)/mOBSCENE
9. Sweet Dreams (Are Made of This)
10. The is the New Shit
11. Antichrist Superstar
12. The Beautiful People

Intro/Angel With the Scabbed Wings/Disposable Teens/No Reflection

The Dope Show

Rock is Dead

Coma White

Personal Jesus

Prelude (The Family Trip)/mOBSCENE

Sweet Dreams (Are Made of This)

This is the New Shit

Antichrist Superstar

The Beautiful People

página: 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9 | 10 | 11 | 12 | 13 | 14 | 15 | 16 | 17 | 18 | 19 | 20 | 21 | 22 | 23 | 24 | 25 | 26 | 27 | 28 | 29 | 30 | 31 | 32 | 33 | 34 | 35 | 36 | 37 | 38 | 39 | 40 | 41 | 42 | 43 | 44 | 45 | 46 | 47 | 48 | 49 | 50 | 51 | 52 | 53 | 54 | 55 | 56 | 57 | 58 | 59 | 60 | 61 | 62 | 63 | 64 | 65 | 66 | 67 | 68 | 69 | 70 | 71 | 72 | 73 | 74 | 75 | 76 | 77 | 78 | 79 | 80 | 81 | 82 | 83 | 84 | 85 | 86 | 87 | 88 | 89 | 90 | 91 | 92 | 93 | 94 | 95 | 96 | 97 | 98 | 99 | 100 | 101 | 102 | 103 | 104 | 105 | 106 | 107 | 108 | 109 | 110 | 111 | 112 | 113 | 114 | 115 | 116 | 117 | 118 | 119 | 120 | 121 | 122 | 123 | 124 | 125 | 126 | 127 | 128 | 129 | 130 | 131 | 132 | 133 | 134 | 135 | 136 | 137 | 138 | 139 | 140 | 141 | 142 | 143 | 144 | 145 | 146 | 147 | 148 | 149 | 150 | 151 | 152 | 153 | 154 | 155 | 156 | 157 | 158 | 159 | 160 | 161 | 162 | 163 | 164 | 165 | 166 | 167 | 168 | 169 | 170 | 171 | 172 | 173 | 174 | 175 | 176 | 177 | 178 | 179 | 180 | 181 | 182 | 183 | 184 | 185 | 186 | 187 | 188 | 189 | 190 | 191 | 192 | 193 | 194 | 195 | 196 | 197 | 198 | 199 | 200 | 201 | 202 | 203 | 204 | 205 | 206 | 207 | 208 | 209 | 210 | 211 | 212 | 213 | 214 | 215 | 216 | 217 | 218 | 219 | 220 | 221 | 222 | 223 | 224 | 225 | 226 | 227 | 228 | 229 | 230 | 231 | 232 | 233 | 234 | 235 | 236 | 237 | 238 | 239 | 240 | 241 | 242 | 243 | 244 | 245 | 246 | 247 | 248 | 249 | 250 | 251 | 252 | 253 | 254 | 255 | 256 | 257 | 258 | 259 | 260 | 261 | 262 | 263 | 264 | 265 | 266 | 267 | 268 | 269 | 270 | 271 | 272 | 273 | 274 | 275 | 276 |









10.01 @ Van Buren
12.01 @ House of Blues
13.01 @ House of Blues
16.01 @ Fox Theatre
19.01 @ The Complex
20.01 @ Fillmore
23.01 @ Aztec Theatre
24.01 @ House of Blues
26.01 @ Shrine Mosque
27.01 @ Brady Theatre
[ ver mais ]

KILL4MESAY10We Know Where You Fucking LiveMarilyn Manson - Prêmio de Ícone pela Alternative Press (2016) Third Day of a Seven Day BingeThe Mephistopheles of Los Angeles


ver +

facebook.com/marilynmanson
marilynmanson.com
twitter.com/marilynmanson


2008 - 2017 ® Marilyn Manson Brasil | Todos os Direitos Reservados